Nov22

GOSTOS, CULTURAS E MANIAS

Posted by Roseane Miranda on 22.11.09  ~  Posted in: Histórias, Opiniões

Geeeeeeente! Voltei. Ou melhor, voltei pro Blog, por que, agora ?em definitivo? estamos aqui, ?quase nordestinos?! :))

Depois de tanta arrumação, em meio à caixas, tintas, trecos, consertos, enfim, depois de tanto trampo, estamos começando à relaxar um pouquinho.

Na casa ainda temos umas coisinhas pra arrumar, mas, só decorativas. Quem tem meu Orkut em breve verá as fotos do nosso ?extreme make over? (he he he) ? nem tão ?extreme? assim, mas, ta ficando beeem melhor! Vocês vão ver. :yes:

Então, estou aqui primeiro pra tentar matar um tiquinho da saudade enorme que estou sentindo, mas, também pra contar um pouquinho do que é mudar radicalmente como fizemos, e começar a conviver num lugar novo, diferente, outra cultura, outras manias.

Pelo vídeo que em breve postaremos no Youtube, vocês verão como cada lugar é diferente, do sudeste pra cá.

Aqui, na primeira palavra proferida por nós, um sergipano já pergunta: ?é paulixta éh??. Engraçado que aqui os ?diferentes? somos nós.

O lugar é lindo. Dotado de uma paisagem infinitamente bela e relaxante. Acho que a calma do povo vem daí. É, o povo aqui é muuuuuuito tranqüilo. Porém, são pessoas boníssimas e muito hospitaleiras. Fomos e somos muito bem recebidos sempre.

As praias são ma-ra-vi-lho-sas! A maioria é bem rasa. As crianças se esbaldam aqui. Durante a semana a praia é nossa. O volume de pessoas aumenta só nos finais de semana. Isso é ótimo!

No ar sentimos um cheiro doce, mas é ar puro. A cidade, apesar de ser uma capital, é plena de praças, árvores e coqueirais infindos!

No café da manhã aqui se come uma mistura de farinha de milho, seca, que se rega com leite, que chamam de cuzcuz, mas, não tem nada a ver com o cuzcuz que conhecemos no sudeste, que leva temperos, frango ou sardinha (delícia!). No café também se come inhame cozido, tapioca e queijo coalho (que eu adorei e já adotei aqui em casa).

Não tem café da tarde, como estamos acostumados por aí. Uma pena, mas, se come tão bem que de tarde não temos tanta fome. Aliás o calor contribui um tanto com essa saciedade. Toma-se muita água. Pra mim tem sido bom.

Come-se muito caranguejo por aqui. Achei lindo mas, não gostei. Fora o trabalho que dá, martelar patinha por patinha... uf... Nossa amiga Eugênia tem uma agilidade incrível pra fazer isso, he he he, deixei tudo pra ela.

Tem um amigo nosso, que também é daí, que não gosta muito das excentricidades culinárias daqui, costuma intitula-las como: ?raspa de maritaca?, ?cu de bode?, ?bago de calango? e por aí vai... he he he rimos muito sempre.

Ainda no campo culinário, conhecemos um crustáceo, parente da ostra, que chamam de Lambreta. Gostei mais do que vem por cima do que do bichinho... (he he he imagino a Hérica lendo isso... he he he). Mas esse, amiga, você comeria, por que ?Não tem OLHO?!!! kkkkkk

Como já disse, o povo aqui é tranquilão. Em geral ninguém gosta de trabalhar até mais tarde. Os fóruns aqui só funcionam até às 13h. Achei ótimo.

Ah, e os "times do coração" aqui são: Flamengo e Vasco, pode? os daqui mesmo estão muito rebaixados, o povo nem liga (he he he).

Também conheci algumas expressões engraçadas que se usam por aqui, como:

?Pronto? ? substitui nosso ?Ok, combinado?.
?Mangar? ? zombar.
?Estupor do pio? ? pra se referir à uma pessoa muito feia.

E essas, que li num Livro de Carvalho Deda (jornalista e político influente, que viveu aqui há mais de 100 anos, escreveu muito sobre essa terra, sua descendência ainda domina por aqui, o Governador do Estado pertence a esta família):

> Sofrendo mais que suvaco de aleijado ? há há há essa eu amei
> Cara de cachorro cagando na chuva ? eu conhecia como ?cara de cachorro que peidou na igreja? há há há
> Gado do cu cagado ? pra dizer que o gado do pobre é inferior ao do rico

Ah, e um palavrão: ?Cabrunco?. Nem pergunte, só sei que é forte. Se usar, sai da frente, o ?couro come?! he he he

Mas é isso, estamos nos adaptando ao calor, aos costumes e manias daqui. Estamos gostando. Curtindo cada momento. Tudo é bom, mas é diferente.

Com saudades do meu povo, claro. Mas, estamos aqui por uma vida melhor, que em qualidade, já estamos ganhando!

E quando alguém de vocês, meus queridos, quiserem nos visitar, serão muito bem-vindos e poderão curtir tudo isso de ?pertim?. :D

Beijos,

Inté.

Um velho calção de banho
O dia pra vadiar
Um mar que não tem tamanho
E um arco-íris no ar
Depois na praça Caymmi
Sentir preguiça no corpo
E numa esteira de vime
Beber uma água de coco
É bom!

(Vinícius de Morais ? Tarde em Itapoã)